GPS Eletrônica

Assim como ocorreu com a apresentação da Gfip, o recolhimento de contribuições previdenciárias de empresas passará a ser efetuado exclusivamente por meio eletrônico. O pagamento será através de débito em conta bancária. A informação foi confirmada pelo Ministério da Previdência e Assistência Social, no dia 26 de janeiro. Mas já no dia 19 de dezembro, o secretário executivo da Previdência, José Cechin, apresentava a novidade, em reunião, em Brasília.
Cechin explicou que o principal estímulo para a adoção da Guia de Previdência Social - GPS Eletrônica foi o sucesso da implantação da Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social - Gfip, em disquete.
Apesar da obrigatoriedade da entrega da Gfip eletrônica ter obedecido a uma escala por Regiões, que foi de abril a agosto de 2000, o sistema foi rapidamente adotado pela grande maioria das empresas contábeis do Pais, para o cumprimento da obrigação de seus clientes.
"O percentual de empresas que utilizavam a Gfip Eletrônica subiu, em média, de 20% para 95% em cada Região do Pais já no primeiro mês da obrigatoriedade da Gfip em meio
magnético", observou Cechin, que reconheceu: "o grande sucesso da implantação da Gfip veio da colaboração dos profissionais contábeis que aceitaram e utilizaram o sistema". "A GPS Eletrônica é decorrente da resposta dada pelas empresas contábeis à informatização da Gfip", confirmou Eliel, citando o índice de apresentação de quase 100% informado pelo secretário. (Fenacom, dezembro 2000, pag. 11)